Como seria a sociedade se nos focássemos no benefício mútuo?

No Sementes, sonhamos com um mundo onde a colaboração, a entre-ajuda e o respeito são as palavras de ordem.

Não apenas sonhamos com esse mundo, comprometemo-nos a construí-lo. Através da regeneração – daquilo que temos, e daquilo que somos.

Transmitir às crianças, e a todas as pessoas que por nós passam, esta reverência e respeito por tudo o que nos rodeia, tendo por base o benefício mútuo, é uma das várias formas de criarmos as condições para que a regeneração aconteça.

“Eu sou porque tu és”, filosofia Ubuntu. Eu não existo sem o outro, nenhum de nós existe sozinho, isolado. Todos somos produto do meio em que crescemos e vivemos. Todos somos resultado das experiências por que passámos. E por isso não há como beneficiarmos do malefício do outro.

As pessoas, o ambiente, a cultura e os costumes que trazemos, todos são fruto de um contexto. Tudo está interligado. E tudo está em permanente mudança.

Está nas nossas mãos criarmos uma realidade diferente para o nosso futuro. Está nas nossas mãos. Uma realidade onde, em vez do benefício de um resultar na perda de outro (a nível financeiro, social, político ou ambiental), operamos na lógica do benefício múto.

Um exemplo disso, foi a incrível doação feita pela Biblioteca Municipal de Ourém ao Sementes. A Biblioteca de Ourém, tendo no seu espólio uma série de livros repetidos e que não consegue guardar, doa-os a quem os quiser levar. Pois esta semana, apresentámos o nosso projeto e explicámos que gostaríamos de levar vários exemplares dos livros que estavam a ser doados, para colocar na nossa biblioteca e assim servir a comunidade de Liteiros.

Qual não é o nosso espanto quando as senhoras, que nos recebem sempre com um sorriso sincero, nos perguntam se temos interesse em levar algumas caixas cheias de livros, que eles têm para doar mas que não conseguem escoar! 10 minutos depois tínhamos 4 caixas cheias dentro do carro, prontas para a viagem até Liteiros.

Ao trazermos os livros, para nós um ingualável tesouro, beneficiámos também a Biblioteca, ao darmos nova vida a livros que de outra forma ficariam a ocupar espaço, encaixotados e quiçá sem uso!

E a cereja no topo do bolo veio ao desempacotarmos os livros: as 4 caixas, entregues naquele dia sem qualquer aviso ou preparação prévia, estavam repletas de obras que têm tudo a ver com a nossa missão e visão da educação! Desde uma enciclopédia completa, a revistas de psicologia em educação e pedagogia, passando por várias obras sobre jardinagem, ecologia, alimentação, atividades experimentais, romances…

Num só dia, com uma simples conversa e partilha sincera, conseguimos algo verdadeiramente inspirador: um benefício mútuo (e a certeza de que é assim que devemos continuar!).